Paixão pela vida

Posso te afirmar com tranquilidade… Sou muito louca sim! Louca pela vida! E tenho uma admiração enorme por loucos. Para mim a vida é uma verdadeira festa, cheia de expectativa… Mas como toda festa às vezes está uma porcaria, mas isso não impede que repita: “É bonita, é bonita, e é bonita!” Pode estar ótima ou péssima, mas eu me preparo para ela com paixão, porque para mim a tristeza não é o fim… Outras festas virão, outros dias apaixonantes também. Como canta Lulu Santos… “Nada do que foi será de novo de um jeito que já foi um dia”… Tudo passa! Ai de nós se não fossem os amanhãs. A festa, a vida, às vezes não está nada boa, ainda com mau-humor… Pode parar! E uma coisa tu podes ter certeza, pessoas apaixonadas pela vida, sofrem muito também… Sofrem porque se arriscam, expõe suas opiniões, nem sempre seguem regras medíocres estabelecidas pela sociedade, rebelam-se, expõe seu choro, seu riso… Vivem! Conheci vários tipos de pessoas, fui amada, fui desamada também, comemorei, sofri, vibrei, cai, me quebrei, levantei… Vivi! Por isso não admito de maneira nenhuma, que ninguém me julgue. E fico indignada quando vejo julgar o outro, tenho repulsa por julgadores, porque como disse nosso genial Mário Quintana… “O pior problema da gente, é que ninguém tem nada com isso”. A meu ver o maior risco que a gente corre nessa vida, rumo à infelicidade é deixar que os outros tomem conta da nossa vida por nós. O máximo que certas pessoas podem é sutilmente nos convidar para ser infeliz com elas, cabe a nós dizer um não em alto e bom som. Eu particularmente acho enfadonha uma pessoa muita certinha, rotininha, muito modinha, que ainda por cima quer nos encaixotar com elas… Pessoas chatinhas como penso. As pessoas mais interessantes que conheci na vida certamente foram aquelas consideradas “muito loucas” por muitas pessoas. Acho genial a frase de Cazuza… “quando a pessoa não nasce maluca, tem de pegar no tranco”. Para mim a vida só tem sentido quando a gente não renega nada: Sonhos, fantasias, opiniões… Há de ter paixão! Se não houver paixão a vida torna-se morna, não ferve!