O Concílio Vaticano II Na Festa do Divino em Osório

2012 – 2015, marca para a Igreja e para o mundo, o cinquentenário do Concílio Ecumênico Vaticano II realizado de 1962 a 1965. A CNBB como também toda a Igreja Católica, celebra esse maior evento do século XX, de permanente validade e reconhece sua importância na mensagem do Evangelho sempre novo, no seio do nosso tempo, da primavera da Igreja Povo de Deus.
É maravilhoso e esperançador, constatar e testemunhar que na Festa de Pentecostes deste ano, em nossa cidade, tenha como centro da celebração, o tema do Concílio Vaticano II, celebrando com toda a Igreja o seu cinquentenário. Esta Festa de Pentecostes, ou seja, Festa do Espiríto Santo, berço do nascimento da Igreja por Jesus de Nazaré, no seio das festividades da Folia do Divino, será um marco histórico para Osório e para Diocese, no seu caminhar prático com as luzes deste Concílio. Lançado pelo Papa João XXIII e seguido pelo Papa Paulo VI, inspirado no Espiríto Santo, iluminaria os séculos passados e futuros.
A Igreja vive hoje as inspirações, a coragem arrojada e as aspirações do Papa Francisco, de resgatar, na prática do Evangelho, as lições desde Concílio, no hoje da nossa sociedade.
Dos seus 16 documentos a Gaudium et Spes e a Lumen Gentium foram os mais destacados e importantes. A Lumen Gentium, Luz do Mundo e dos Povos, viu a necessidade de uma nova consciência da Igreja. A Gaudium et Spes, Alegria e Esperança, busca a verdadeira fraternidade no bem comum de todos, pelo dom que tem e que pode transmitir aos outros, na alegria e na esperança, dignidade e amor.
É chegado o grande momento, de abraçarmos esta luta e missão junto com o Papa Francisco.Como disse Congar, um dos importantes Conciliares – “A obra realizada é fantástica, mas resta tudo por fazer”. O Concilio inspirou a renovação de uma Igreja envelhecida e estagnada, que infelizmente pouco avançou nestes 50 anos. Ele é ponte do século XX para o século XXI de um novo tempo para a Igreja, que somos todos nós.
É importante recordar as palavras de João XXIII ao anunciar o Concílio: “Estamos diante do Gigante Golias, mas nos sentimos fortes na fé com Jesus e podemos atravessar não só o pequeno Lago da Galiléia, mas também todos os mares do mundo”.