Laudo de insalubridade deve receber revisão

O Sindicato dos funcionários públicos de Osório, em contrapartida ao relatório das insalubridades e periculosidades dos servidores, apresentado pela Prefeitura Municipal de Osório. Reuniu na manhã de sexta-feira a imprensa local, no gabinete sindical sob competência da presidente em gestão Herminia, para apresentar seu posicionamento perante as mudanças ocorridas no abono salarial dos cadastrados.

Durante o mês de junho a Prefeitura Municipal expediu portarias revisando a questão da insalubridade no exercício dos cargos públicos. Para a função contratou a empresa Planin para apresentar o relatório vigente. Neste os servidores deveriam responder o que era atividade perigosa e o que era atividade insalubre. Entre os pontos analisados foi verificado a exposição a ruídos. Dos mais de mil servidores cadastrados no sindicato, apenas 674 foram analisados neste relatório. Segundo a alegação da empresa, o número de funcionários analisados foi o pedido pela Prefeitura. Para uma nova análise é necessário que haja o interesse do poder público.
Segundo o prescrito no atual relatório, de mais de 600 páginas, todos os salários já estão sendo revistos de acordo com as categorias analisadas. Entre as questões que deixam dúvidas da veracidade do laudo estão as profissões de merendeira, auxiliar de educação infantil, médico psiquiatra, operários de obras, entre outros. Sendo o abono de 10% há 40% dependendo do grau de insalubridade.
Perante os fatos o sindicato se posiciona a favor de um novo relatório, realizado com o número total de servidores, que será apresentado a prefeitura. Havendo recusa por parte destes em reaver as divergências, será necessário que o sindicato entre com as medidas legais perante a lei. O sindicato visa defender os interesses de seus contribuintes. O difícil acesso dos professores aos seus locais de trabalho, também estão sendo analisados.

Jéssica Martins

100_4735