Inaugurado CER de Osório, nova referência em saúde do litoral norte

Centro irá atender a população dos 23 municípios do litoral norte do RS

Em um momento histórico e muito especial, foi inaugurado na manhã desta sexta-feira, (22/4) o Centro Especializado em Reabilitação Física, Auditiva e Visual Dr. Freddy Flaviano Torrico Soria (CER III), com a presença de autoridades locais, regionais, estaduais, deputados, a família do homenageado, cidadãos e profissionais da saúde.
 
O CER foi construído a partir do projeto arquitetônico padrão disponibilizado pelo Ministério da Saúde, com recurso Federal de R$ 3.750.000,00 além de aditivos de aproximadamente 500 mil pagos pelo município e Osório, que disponibilizou o terreno e realizou todos os trâmites burocráticos para construção e aquisição de equipamentos.
 
O Ministério também disponibilizou mais R$ 1.500.000,00 para aquisição de equipamentos e mobiliário obrigatório, sendo que o município investiu recursos próprios na aquisição dos materiais de consumo, como os jogos lúdicos, halteres e caneleiras.
 
O prefeito de Osório, Eduardo Abrahão ressaltou vencer os desafios. “Osório ganha uma nova estrutura que servirá a região, em torno de 400 mil pessoas que terão acesso a reabilitação física, auditiva e visual, oferecida pelo poder público. Todos trabalharam muito para concretizar essa linda obra e registro meu reconhecimento ao secretário Emerson e a Luciane Curtinovi, em especial.  Parabenizo a família do Dr. Freddy, pela homenagem que hoje recebeu como forma de gratidão ao que o Dr. fez em prol da saúde nossa cidade. Agradeço muito ao incentivo da primeira-dama Soraia, que sempre está presente me apoiando. Parabéns para todos”.   
 
A secretária de Estado da Saúde Arita Bergamann explicou que o CER vai oportunizar a centenas de pessoas a possibilidade de reabilitação. “Esse recurso colocado à disposição do Litoral Norte é nobre e muito bonito. Osório foi a primeira cidade que visitamos e hoje estamos participando dessa inauguração. Não tem como não guardar nesse nosso governo, o nome do município de Osório. Hoje é um dia de emoção e concluo com o refrão do Hino dessa cidade, que simboliza um pouco do que a região oferece: “Mesmo que mudem divisas/ Será conservada a memória/Ainda que mais se divida/Osório é marco da história”.
 
Para o secretário municipal da Saúde de Osório, Emerson Magni, a saúde tem que ser feita na região e é isso que Osório está praticando. “O CER é nosso e agradecemos aos 23 municípios pela parceria. Parabéns à família do Dr. Freddy, ao IMAS pela gestão no CER e a comunidade toda pela conquista. Que tenhamos um grande atendimento aqui. Parabéns Osório pelo prefeito que se empenha e faz adesão a projetos regionais”.   
O prefeito do Caraá e presidente da Amlinorte, Nei Pereira destacou que a inauguração significa um momento único. “Essa conquista trará uma série de benefícios, a iniciar pela diminuição do transporte de pacientes para outras cidades da região metropolitana e Porto Alegre. É um momento de muita alegria e estamos todos de parabéns, principalmente o prefeito e os que trabalharam para concretizar esse sonho na área da saúde”.

Também fizeram uso da palavra a filha do homenageado, Dr. Freddy, Alessandra Sória; presidente da Câmara de Vereadores, Gilberto Santos de Souza; deputado Pompeo de Matos, deputado Alceu Moreira e o vice-prefeito Eduardo Renda.

Saiba mais:
O custeio mensal do CER será realizado pelo Ministério da Saúde no valor de R$ 200.000,00, mais produção mensal, após a habilitação do serviço. Até a habilitação, o custeio será dividido entre os 23 Municípios da Região de acordo com o porte populacional. O serviço atenderá os 23 municípios da 18ª Coordenadoria Regional de Saúde, totalizando uma população aproximada de 400 mil.
 
A regulação de pacientes será feita pelo Estado, do mesmo modo como já é realizado, com o diferencial de serem regulados para Osório ao invés de Porto Alegre e região.
 
O Centro Especializado em Reabilitação (CER) é um ponto de atenção ambulatorial especializado em reabilitação, que realiza diagnóstico, tratamento, concessão, adaptação e manutenção de tecnologia assistiva, constituindo-se em referência para a rede de atenção à saúde da pessoa com deficiência no território.  

 O atendimento no CER será realizado de forma articulada com os outros pontos de atenção da Rede de Atenção à Saúde, através de Projeto Terapêutico Singular, cuja construção envolverá a equipe, o usuário e sua família. Ainda tem equipamentos chegando e outros ainda sendo licitados, pois restaram fracassados em editais anteriores.

 A gestão será realizada pelo Instituto Maria Schmitt de Desenvolvimento de Ensino, Assistência Social e Saúde do Cidadão (IMAS) vencedor do processo licitatório. A contratação dos profissionais para composição da equipe de trabalho será de acordo com a portaria ministerial que define a equipe mínima para o funcionamento do serviço.

Curriculum de Freddy Flaviano Torrico Soria
Freddy nasceu no município de Villa Rivero,província de Punata, Cochabamba, Bolivia, em 22 de agosto de1939.
Fez seus estudos primários e secundários na cidade natal. No início dos anos 60, mudou-se para Porto Alegre a fim de cursar a Faculdade de Medicina na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, pelo convênio educacional Brasil-Bolívia. Formou-se no ano de 1966 e logo após fez Residência Médica em Oftalmologia e Otorrinolaringologia. Após uma Residência de muita qualidade, veio trabalhar na cidade de Osório, em suas especialidades, onde conquistou grande clientela. O Dr. Freddy, pelo seu espírito social, solidário e dotes artísticos, fez parte de várias entidades do município de Osório. Como Lions Clube, Clube Atlético Osoriense, Grêmio Esportivo Sulbrasileiro, Clube Atlético Milionários, Posto de Puericultura, além de ser médico credenciado da Prefeitura Municipal, Instituto de Previdência do Estado e diversos convênios.
Era comum vê-lo participando de campanhas sociais pelo Lions Clube, promovendo doações de óculos e consultas gratuitas.
Mesmo o médico, o cidadão, por muitas vezes promoveu a consulta e aviou óculos a título gratuito a pessoas carentes.
Nunca se esqueceu de suas origens. Frequentemente voltava à Bolívia. Falava o quíchua, idioma originário dos Incas, com tal desenvoltura como o espanhol e, posteriormente, o português. Em seu consultório, ou em sua casa, adornavam as estantes instrumentos de música: o charango, o cuatro, a charjcha, quena e flautas andinas. Bem como estatuetas de entidades indíginas, e diversos outros objetos relacionados à sua cultura.
Em dois de março de 2002, vitimado por uma parada cardíaca, morreu prematuramente, deixando seus familiares e uma legião de amigos e admiradores.

Crédito: Eliana C. Izaias/PMO