Eu e Elvis Unplugged

Elvis é o cara! “Antes dele não havia nada” como bem disse John Lennon. O homem tem uma voz com timbre maravilhoso, tem energia e swing musical impressionantes, além de presença de palco inigualável até os dias de hoje. Tanto isto é verdade que parou de tocar em 1977 e é com certeza absoluta o artista com maior números de dublês, sósias, imitadores “fake” e afins. É o Rei do Rock. E falo “É” e não “ FOI”, sempre usando o tempo presente quado me refiro a ele porque um rei só repassa sua coroa quando morre. E como todos sabem, ELVIS NÃO MORREU!
Eu e o Rei, apesar da abissal diferença de fama e talento, temos algumas coisas em comum. A Majestade além da descomunal vocação artística era um sucesso com as mulheres, talvez o primeiro “Sex Simbol” em nível mundial depois de Adão, se bem que na época de Adão era fácil ser um ícone mundial e agradar a mulherada, já que ele era o único e existia somente a Eva, que aliás era de opinião suspeita já que devia sua vida à costela do rapaz. Aliás, apesar de eu venerar as mulheres, por vezes me atordoam tanto que fico pensando porque não foi feito um churrasco com a tal costela, se Deus fosse realmente gaúcho teria feito, nossa vida seria bem mais tranquila, e também mais sem graça, admito.
E eu, sem falsa modéstia, vou admitir aqui que sou bom de cama. É me encostar numa que durmo. A bem da verdade nem precisa ser na cama, no ônibus então, é o motorista ligar a ignição que minha cabeça quase que por magnetismo cola no encosto, ou se não tiver um, vai no vidro mesmo e a baba já escorre pela boca e caio descaradamente nos braços de Morpheu, e aqui favor não fazer trocadilhos infames que duvidem da minha masculinidade, ele não é um moreno alto bonito e sensual e sim o Deus grego dos sonhos.
Tenho praticamente Mestrado e Doutorado na arte de dormir. Desenvolvi um mecanismo, que atua como um controlador de temperatura automático, de dar inveja aos mais modernos ar condicionados split do mercado. Sempre início meu ritual do sono tapado até o pescoço. Se durante o sono fica quente demais, quase que por reflexo uma das minhas pernas sai para fora do edredon. Aí, se assim, com a coxa inteira para fora fica frio, ela automaticamente entra denovo para baixo das cobertas deixando destapado só do joelho para baixo. Pronto, temperatura regulada assim ao natural e sem controle remoto. Sou bom nisso, falo sem vergonha de parecer soberbo e arrogante.
Mas voltanto a Elvis, ele foi também o primeiro Pop Star intercontinental e o homem que lhe transformou nesta máquina de gerar dinheiro, conhecido como Coronel, percebeu que ele renderia muito mais fazendo filmes de qualidade duvidosa, ancorados quase que exclusivamente na presença de Presley, e os vendendo pro mundo inteiro do que realizando onerosas e exaustivas turnês de shows. Pois no final da década de 60, o fenômeno estava deprimido e sua carreira em decadência, mais de sete anos longe dos palcos apenas atuando no cinema. Então um novo diretor artístico foi contratado e chegou a conclusão que o rei tinha que voltar as raízes, se aproximar de seu público. E criou um show intimista, com público pequeno e seleto que assistia a apresentação bem próximo do palco com os músicos remanescentes da banda original de Elvis. O resultado foi um estrondoso sucesso de crítica e público “68 Comeback Special”. Este é o ancestral e inspiração do formato “UNPLUGGED” amplamente explorado pela MTV décadas mais tarde.
Sim, o grande e insuperável Elvis Presley precisou se desplugar, voltar a simplicidade da sua vocação para se reencontrar consigo mesmo e com sua arte.
E onde eu entro? Há tempos atrás percebi que não parava para planejar minha vida, que na correira do dia a dia não pensava mais em mim, precisava me desligar para conseguir esvaziar minha mente para me repensar. E decidi que precisava desconectar vários plugs, o da preocupação com o futuro, o de querer agradar os outros, e o de só dar espaço as obrigações e não aos prazeres. E assim, no modo “acústico” me reiventei e to dando espaço a atividades que me davam prazer e que havia deixado de lado por diferentes razões, tais como a música, os esportes e até mesmo a escrita.
Mas apesar das minhas semelhanças com o rei, ele sempre será majestade e eu plebeu. Se alguém avistar ele com as calças molhadas dirão: coitado, alguém derramou àgua sobre ele. Mas se acontecer o mesmo comigo falarão aos berros: Vai te trocar ôôô mijão!