Encontros, reencontros e desencontros de final de ano

*Especial de natal por Renato Eduardo

Estamos chegando naquela tão esperada época do ano, em que as pessoas ficam mais sensíveis, quando as famílias se encontram, amigos se reencontram, e pessoas se vão.
Fico a pensar, na grande oportunidade que temos a cada ano, de sentar, e a partir desta sensibilidade que paira no ar, nas famílias e relações interpessoais, realinharmos nossas vidas, estruturas mentais, sociais e familiares.
Nesta época, quando comemoramos o maior de todos os marcos da história, a época quando a luz brilhou em meio a escuridão, quando a esperança renasceu, quando a possibilidade do perdão, a porta para uma nova jornada, não a das estrelas, mas a jornada ao centro de nossa existência, quando nos deparamos com a possibilidade de encontrar aquele algo, que a raça humana tanto tem procurado sem saber o que é, quando surge a oportunidade de sairmos daquele ostracismo existencial, que nos metemos, para o cume do monte, onde podemos nos relacionar, compreender, amar, porque Ele nasceu, tudo isto é possível.
Então é Natal! Data tão usada e abusada, por aqueles que vêem a oportunidade de aumentar seus ganhos, data tão rejeitada pelos críticos de uma religião que lamentavelmente tem se tornado irrelevante, mas para aqueles que ainda crêem, para aqueles que têm experimentado, para aqueles que tiveram suas vidas marcadas, a data onde existe a possibilidade de tudo novo se fazer.
Quero te incentivar a aproveitar estes momentos de sensibilidade geral, para reencontrar amigos, perdoar desafetos, aproveitar aqueles que lhe caros, a viver sua plenitude de vida, de harmonia, saúde e paz.
Por isso e por uma quase infindável lista de razões, quero desejar para ti e para todos os leitores, um ótimo Natal, e um 2015 cheio de realizações.

*Pastor da Igreja Batista Filadélfia de Osório