Encontrado foco do mosquito da dengue no centro de Osório

Foi confirmado na tarde do dia 20, pelo laboratório de entomologia da 18ª Coordenadoria Regional de Saúde como sendo Aedes aegypti as larvas de mosquito encontradas no Cemitério no centro de Osório. O resultado positivo para o mosquito transmissor da dengue, uma doença que não tem cura e pode levar à morte, deixa em alerta a população para os cuidados com a prevenção.

A médica veterinária da vigilância em saúde da Secretaria Municipal de Saúde, Anne Marth pede a colaboração de todos. “O resultado surpreendeu a equipe uma vez que foram realizados cinco ciclos de visitas a todos os imóveis do bairro centro, sem constatar a presença do vetor da Dengue. Nos cemitérios existem placas alertando para que nos vasos com flores seja colocada areia, pois as oito larvas encontradas no cemitério, do mosquito Aedes aegypti, estavam em vasos de flores”, alerta a médica que considera o cemitério como ponto estratégico, visitado pela equipe a cada 15 dias obrigatoriamente. No total, o município possui três cemitérios.
Com o resultado positivo para o foco do mosquito Aedes aegypti a equipe da vigilância, que conta com 14 agentes da dengue, realiza uma varredura concentrando em locais com maior potencial de focos de mosquito em um raio de 300 metros a partir do cemitério. Além disso, todos os proprietários de imóveis receberam no mês de dezembro, uma carta aberta sobre a Dengue, solicitando reforço nos cuidados, como não deixar águas paradas em vasos, pneus, calhas, movimentar a água da piscina, tampar a caixa d’água, recolher objetos expostos à chuva.
Porém, o que tem sido identificado pela equipe é que os moradores ainda têm resistência em aderir aos hábitos de prevenção. “Acham que a doença Dengue nunca acontecerá e descuidam exatamente onde todos podem colaborar, evitando o nascimento de novas gerações de mosquitos. Em média, enviamos ao laboratório de 15 a 20 amostras semanais, o que demonstra que existem águas paradas em todos os bairros da cidade”, relata Marth. Desde julho do ano passado não eram encontrados novos focos do mosquito da Dengue em Osório.

Gabriela Pacheco