Em sua 4ª Caiacada, Projeto Taramandahy realiza plantio de 200 árvores

Esportistas, comunidade e escolares uniram-se para plantar antes da remada pelo Rio Três Forquilhas

A Caiacada “Água para todos” realizada sábado, dia 23 de março no Rio Três Forquilhas, promoveu celebrações envolvendo esportistas, comunidade local, agricultores, alunos, professoras e gestores municipais, que juntos comemoraram dias importantes para o meio ambiente e a região: Dia Mundial das Florestas (21/3), Dia Mundial da Água (22/3) e o aniversário de 27 anos de emancipação de Três Forquilhas (20/3). Esta foi a quarta e última Caiacada do Projeto Taramandahy – fase III, realizado pela Anama, com patrocínio da Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental e Governo Federal. O projeto também conta com apoio do Comitê Tramandaí.

A programação começou cedo com os primeiros a chegar ao Balneário Municipal, local da largada e de plantio de mudas de árvores nativas, para compor a mata ciliar. Alunos, professoras e gestoras das escolas municipais Luiz Gonzaga Capaverde, José Alberto Schutt e Educação Infantil Rubem Brehm Justo trouxeram mais luz ao dia e ajudaram a plantar, antes da largada.

O abraço ao rio e à bacia hidrográfica do Rio Tramandaí foi feito por terra, para que todos os presentes pudessem fazer parte. Na largada, as pedras iniciais deram lugar para um grande rio. Segundo caiaqueiros de longa data, como Júlia Lucas, o percurso pelo rio foi o mais bonito já feito nestas caiacadas. Já a professora Fernanda Teixeira, considerou o mais emocionante.

Na chegada ao Sítio Lima e Silva, os esportistas foram recebidos com o salchipão feito pela equipe do projeto e com a Feira Agroecológica de famílias agricultoras da região. Representantes do “Caminho dos Vales e das Águas” apresentaram o roteiro de turismo rural ecológico. E no Bate-Papo Ambiental, o assessor técnico do projeto Tiago Corrêa, fez uma dinâmica diferente para incentivar a participação geral a falar, convidando as pessoas a revezar-se em três cadeiras dispostas no centro da roda e ali colocarem suas experiências e relações com a Água. Um segundo plantio de mudas na área ciliar do Sítio foi realizado em seguida. No total, foram plantadas 200 mudas das espécies nativas da Mata Atlântica, produzidas no viveiro do projeto com sementes coletadas na região: palmito juçara, pitanga, cedro, ingá feijão, araticum, quaresma, embiruçu, tarumã branco, açoita cavalo, aroeira vermelha e tajuva.

“São eventos completos, além da remada, tem conteúdo relacionado à natureza. E a organização feita com antecedência, corresponde sempre às expectativas das pessoas” palavras de Hector Mota, que rema junto com o Grupo Família do Kaiaque e participa desde a primeira Caiacada “Águas de Março”, ocorrida em 2018.