A gravidade da PEC 241

Na segunda-feira, dia 10, foi então aprovada a PEC 241, em primeiro turno. O objetivo é congelar os investimentos públicos em educação e saúde pelos próximos 20 anos, na tentativa de contornar a crise econômica. Os impactos que podem ser gerados pela aprovação da proposta não são poucos, afinal, a PEC irá colocar limites em gastos que crescem, historicamente, todos os anos, e em ritmos acima da inflação.
Os mais prejudicados serão, sem dúvidas, a população mais pobre, que depende do sistema público de saúde e educação. Desta forma, milhares de brasileiros são prejudicados, por não ter condições de investir em entidades particulares. Além do mais, a PEC abre caminhos para afetar a previdência social e aposentadoria dos trabalhadores.
Deixar de investir nos patamares necessários e básicos da sociedade, que são a saúde e educação, é condenar as gerações futuras a terem uma baixa qualificação, gerações essas que serão a população economicamente ativa daqui a 20 anos. Neste momento, precisamos de mobilização, não somente das escolas e instituições, como a ocupação do IFRS, no último domingo, mas da comunidade inteira. Precisamos que os brasileiros não se calem, e que entendam o quão gravemente a PEC 241 afetará nossas vidas.