Professora do campus é vencedora de prêmio nacional da Fundação Carlos Chagas


Projeto desenvolvido pela docente Rafaela Drey proporciona experiências práticas aos estudantes do curso de Licenciatura em Letras do Campus Osório do IFRS.

Entrar em uma sala de aula, com 30 estudantes em média, para lecionar pela 1ª vez não é tarefa fácil. Por mais que se tenha uma ótima base teórica, é com a prática que esse desafio de ensinar vai se tornando cada vez mais fácil. Foi com o objetivo de proporcionar experiências práticas aos estudantes do curso de Licenciatura em Letras do Campus Osório do IFRS que a professora Rafaela Fetzner Drey desenvolveu o projeto “O ensino de Língua Inglesa na prática: micropráticas de ensino de inglês para a comunidade”. A proposta deu tão certo, que foi anunciada ontem, dia 3 de outubro de 2019, entre os três projetos vencedores da 9ª Edição do Prêmio Prof. Rubens Murillo Marques (PPRMM), da Fundação Carlos Chagas.

A iniciativa tem como objetivo valorizar e divulgar experiências formativas propostas e realizadas por docentes dos cursos de Licenciatura na formação de professores para a educação básica. Esta é a primeira vez que o prêmio é concedido a um professor de Institutos Federais. Os outros dois premiados são da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e da Universidade de São Paulo (Usp), ambos projetos da área de Ciências Biológicas. “Até então, só professores de universidades, em sua maioria de federais, foram agraciados com o prêmio. Trazer esse prêmio para o IFRS faz com que os Institutos Federais passem a ser enxergados como um local que também faz, e muito bem, o trabalho de formação de professores”, comemora Rafaela.

A cerimônia de entrega do prêmio será realizada em 22 de novembro, no auditório da Fundação Carlos Chagas, na capital paulista. Os vencedores serão agraciados com prêmio de R$ 20 mil, diploma e troféu (réplica da escultura da artística plástica Vera Lucia Richter). Além disso, os projetos laureados serão publicados de forma detalhada na próxima série Textos FCC, que visa subsidiar outras iniciativas e divulgar as experiências a especialistas da área e demais públicos interessados na temática.

Sobre o projeto

O trabalho desenvolvido pela professora Rafaela constitui-se em um projeto de extensão curricularizado, vinculado à disciplina de Metodologia e Laboratório de Ensino de Inglês, do quarto semestre do curso de Licenciatura em Letras – Português/Inglês do IFRS – Campus Osório. Por meio dele, os estudantes vivenciam experiências práticas de ensino de língua inglesa, oferecendo novas perspectivas de estudo da língua estrangeira para alunos de escolas públicas da comunidade.

A primeira edição das micropráticas ocorreu em 2017, no Campus Osório. Já no ano passado, os alunos-professores licenciandos realizaram a atividade em turmas de língua inglesa de ensino fundamental da Escola Estadual General Osório. “Eles passaram em torno de um mês fazendo observações e desenvolvendo práticas de ensino – experiência que os preparou para encarar o estágio supervisionado. O perfil dos nossos estudantes é nunca ter dado uma aula. Como formadora de docentes, sei que o futuro professor não pode ter contato com alunos pela primeira vez no seu estágio. E foi essa inquietação que resultou no projeto”. conta Rafaela. A docente destaca que a parceria das professoras Rovena Zapparoli e Patrícia Ferrari foi fundamental para a formação dos futuros professores, pois elas contribuíram na elaboração dos planejamentos e orientaram os alunos com sua experiência.

Para o estudante do Campus Osório, Antônio Nunes Quintana, do 7º semestre do curso de Licenciatura em Letras, participar do projeto foi extremamente importante para o domínio do conteúdo e para sua atuação em sala de aula: “As micropráticas deram todo o subsídio necessário, permitiram aliar a teria à prática, me preparando, de fato, para dominar o conteúdo e me sentir à vontade diante dos alunos”.

O projeto originou uma pesquisa que verificou o impacto das práticas de ensino na formação inicial dos professores de Língua Inglesa. Também resultou no livro ‘Ensino de inglês nos dias atuais: Experiências práticas de sala de aula’, escrito em parceria com a professora Isabel Selistre, que contém projetos de micropráticas e de estágio. A obra será lançada no final do mês, na Feira do Livro de Osório.

Prêmio Prof. Rubens Murillo Marques

Criado em 2011, o Prêmio é também uma homenagem ao Prof. Dr. Rubens Murillo Marques, presidente de honra e um dos fundadores da Fundação Carlos Chagas, em reconhecimento a sua trajetória acadêmica e ao seu empenho no fortalecimento dessa instituição.

Neste ano, foram recebidas 94 inscrições, de projetos de diversas regiões do país. A seleção dos vencedores foi realizada por uma Comissão Julgadora, composta por especialistas na área da formação docente do projeto inscrito e pelo Comitê Executivo do Prêmio. A avaliação considerou a originalidade dos procedimentos didáticos empregados, ou seja, a utilização de estratégias diferentes das usuais, que tenham sido criadas, agregadas ou adaptadas pelo autor do projeto visando à aprendizagem do futuro professor da educação básica, bem como o potencial multiplicador da experiência.

De acordo com Gisela Lobo Tartuce, pesquisadora da FCC e uma das coordenadoras da iniciativa, “a cada ano o prêmio tem como desafio identificar e valorizar professores que assumem o compromisso de promover o avanço intelectual e profissional dos futuros docentes e favorece o aprendizado da docência e do conhecimento profissional, que é específico e indispensável ao desenvolvimento dessa atividade”.

Para saber mais sobre o Prêmio Prof. Rubens Murillo Marques de 2019 e conferir os resultados das edições anteriores, acesse a página da iniciativa, no site da FCC.